Abrolhos: Entre corais, naufrágios e o encanto das Jubartes

Se procura por beleza e aventura Abrolhos te recebe de braços abertos!

 

A região  de Abrolhos é rica em formações coralíneas que foram responsáveis por muitos naufrágios no passado.  O local fora batizado por navegadores portugueses que ali chegavam e acabavam naufragando ao bater nos corais. A ordem era para abrir bem os olhos quando chegassem à região e essa ordem acabou dando origem ao nome desse lugar fantástico, Abrolhos.

O arquipélago  possui uma extensa fauna ambiental, que é protegida desde a criação do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos em 6 de abril de 1983, pelo Decreto Federal nº 88.218 e considerado pela ONU como um dos 12 parques mais importantes do mundo.

Abrolhos fica no sul da Bahia e tem muitos lugares para a prática do mergulho
Arquipélago de Abrolhos

As ilhas Santa Bárbara, Siriba, Redonda, Guarita e Suesta são bem próximas e propiciam ótimas experiências para os mergulhadores durante o ano todo. Existe tanta variedade por lá que pode-se dividir em categorias: Ilhas, chapeirões e naufrágios.

Nos locais mais rasos, indicados para mergulhadores iniciantes, existe uma grande abundância de cardumes que são facilmente vistos por conta da transparência da água e enchem os olhos de todos que por lá passam.

Os chapeirões dão um show de beleza. São formados pelos corais cérebro que crescem na vertical à procura da luz do sol e alcançam cerca de 25 metros de altura e 50 de diâmetro. Túneis se formam em um emaranhado de corais e assim os mergulhadores se aventuram por eles, alguns comportam pequenos grupos como o Atlântida.

Os chapeirões são formados pelos corais cérebro
Chapeirões

O naufrágio mais famoso é o de Rosalina, que transportava uma carga de cimento e cerveja que ainda está na embarcação. Em 1955 o cargueiro de 102 metros de comprimento colidiu contra o chapeirão e hoje faz parte dele estando coberto de corais que criaram passagens que instiga os mergulhadores. São várias embarcações naufragadas na região, você pode escolher.

Rosalina transportava carga de cimento e cerveja que ainda está na embarcação
Naufrágio de Rosalina

De julho à Novembro você consegue ver as baleias Jubartes por lá. As baleias frequentam as águas baianas para se acasalarem e voltam sempre de 11 a 12 meses depois para que os filhotes nasçam.  O mergulho com elas não é permitido, pois elas são protegidas, mas dos barcos é possível observar e se surpreender com seus cantos e saltos espetaculares.

As baleias frequentam as águas baianas de julho à novembro
Baleias Jubartes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *